Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Após pedido de prisão, Leite reforça que TJ e Supremo já derrubaram recursos semelhantes

Postado em 26/07/2019 por

Compartilhe agora.
Rádio Guaíba

O governador Eduardo Leite reagiu ao pedido de prisão contra ele, provocado pelo Sindicato dos Servidores de Nível Superior do Rio Grande do Sul (Sintergs) por conta do parcelamento dos salários do funcionalismo.

Em nota, Leite reforça que pedidos dessa natureza não são cabíveis, conforme precedentes do próprio Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Federal (STF). O chefe do Executivo garante que não existe crime de responsabilidade nesse caso. “O atraso no pagamento dos salários ocorre há mais de quatro anos e é uma situação alheia à vontade do Governador Eduardo Leite e decorrente da crise fiscal atravessada pelo Estado”, sustenta.

Leite também esclarece não ter sido intimado para prestar esclarecimentos, mas promete se manifestar no autos quando provocado. Além disso, salienta que medidas estruturais estão sendo tomadas pela atual gestão para vencer a crise econômica e colocar o pagamento dos servidores em dia, até o fim do ano. O tucano ainda elenca que o antecessor enfrentou o mesmo problema, por quase quatro anos.

Os vencimentos de junho ainda não foram quitados pelo Executivo. A previsão é que o saldo remanescente só seja liquidado em 12 de agosto, mais de 40 dias após a determinação constitucional.

 

Rádio Guaíba

Link da Notícia

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.