Ouça agora na Rádio

N Notícia

Inter volta a criticar atuação do VAR após empate contra o Cruzeiro

FOTO: Correio do Povo

Inter volta a criticar atuação do VAR após empate contra o Cruzeiro

Jogadores e Roberto Melo afirmaram que decisão de Wagner Magalhães estragou o trabalho da equipe no Mineirão

O Inter voltou a se manifestar contra a arbitragem após um pênalti polêmico marcado a favor do Cruzeiro e que decretou o empate em 1 a 1 entre as duas equipes neste sábado. A exemplo do que ocorreu depois da partida contra o Flamengo, quando o Colorado foi batido por 3 a 1, as críticas começaram ainda na saída de campo dos jogadores e se estenderam até a coletiva do vice-presidente de futebol Roberto Melo, que chegou a dizer que a continuidade do VAR no Brasileirão estaria em risco. 

O goleiro Marcelo Lomba foi o primeiro a se dirigir contra a arbitragem de Wagner do Nascimento Magalhães. "Por que o VAR se meteu? Respeitamos o Cruzeiro, jogamos bola, mas um VAR horrível estraga com o jogo", disparou. O zagueiro Bruno Fuchs também engrossou o coro. "Estraga o trabalho. Complicado esse negócio do VAR. Agora temos que voltar a ganhar, este jogo acabou. Não tem o que fazer", resignou-se. 

Roberto Melo começou a sua coletiva usando a palavra vergonha para definir o lance assinalado em favor do Cruzeiro. O termo depois foi usado de outra maneira pelo próprio dirigente, usando as três letras do VAR: "VARgonha". "Eu gostaria de saber o que leva um juiz na cabine a não chamar o árbitro em um pênalti claro contra o Guerrero e neste lance de hoje ser chamado, quando nem os jogadores do Cruzeiro sabiam o que ele estava revisando. Alguns atletas nossos relataram que tiveram vontade de sair de campo, porque se trabalha muito. Saímos ganhando e acontece isso", comentou. 

Melo voltou a criticar a atuação de Leonardo Gaciba à frente da Comissão de Arbitragem e revelou que o órgão admitiu o erro diante do Flamengo. "O Inter é favorável ao VAR e fomos minoria no ano passado. O VAR é um instrumento que veio para facilitar, mas ele é administrado e operado por pesssoas, e, do jeito que as coisas estão acontecendo, estamos pensando o contrário. O juiz estava próximo do lance na área e não marcou nada e foi chamado. É isso que me preocupa. Acho que o VAR está correndo risco no Campeonato Brasileiro", finalizou. 

FONTE: Correio do Povo
Link Notícia