Ouça agora na Rádio

foto-locutor

Buscando...

Buscando...

Destaques

Economia

Lateral

Compartilhe agora

Banco Central corta Selic pela 9ª vez e taxa cai para 2% – a menor da história

Postado em 06/08/2020 por

img-page-categoria

*Fonte imagem : Banco Central corta Selic pela 9ª vez e taxa cai para 2% – a menor da história*


Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, reduziu, nesta quarta-feira, 5, a taxa básica de juros da economia brasileira de 2,25% para 2% ao ano, o menor percentual da Selic desde 1999, quando entrou em vigor o regime de metas para a inflação. Foi o nono corte consecutivo desde que a autoridade monetária iniciou esse ciclo de redução, em julho de 2019.

Na época, a taxa estava em 6,5% e teve um corte de 0,5 ponto percentual, para 6% ao ano. Para muitos economistas, esta deve ser a última redução dos juros no atual ciclo de estímulo monetário pelo menos até dezembro. “O Banco Central já poderia parar nesse ciclo de cortes de juros. Poderia ter parado até um pouco antes para analisar e avaliar a repercussão das decisões recentes”, afirma a economista e consultora Zeina Latif.

Apesar de a decisão ter sido tomada em um momento de forte redução do nível de atividade econômica devido à pandemia da Covid-19, a maioria dos economistas ouvidos pela Jovem Pan afirma que a queda terá um impacto pequeno na economia. O Brasil vem sofrendo há anos uma estagnação da atividade econômica, o que tem mantido a inflação a níveis controlados. Para este ano, porém, com o advento da pandemia do coronavírus, economistas projetam um tombo de cerca de 6% para o Produto Interno Bruto (PIB).

Por outro lado, a inflação segue baixa diante de um consumo ainda fraco por causa da pandemia – analistas projetam um IPCA de 1,6% no final deste ano. “Essa redução tem um benefício mínimo. Já descobrimos que juro baixo é bom, mas não resolve todos os nossos problemas. Temos questões estruturais que vão muito além do poder da política monetária. E política monetária é aquela calibrada com impacto de curto prazo, não é o que vai fazer o país ter um crescimento mais robusto”, completa Zeina.

Fonte: Jovem Pan

Deixe um comentário

Ao enviar um comentário você concorda com nossas politicias de comentários, saiba no link ao lado. política de comentários